O Xamã

Hoje o mundo pra mim deu uma reviravolta. Parece que estamos indo a um pesadelo que nunca termina, que nos faz perceber que o que está vencendo, é o senso primário de uma simples distinção baseada naquelas óbvias opiniões antiquadas e um crescimento exponencial do ódio. Nesse mundo caótico atual, procuro sempre me manter afastado de qualquer noticiário mas, foi inevitável a chegada da notícia de que um dos meus maiores ídolos se foi.

André Matos pra mim foi e continuará sendo uma das grandes inspirações para acreditar não só na vida mas também num mundo melhor, uma coisa que ultimamente está parecendo cada vez mais impossível de se imaginar.

Angra – Time

Ainda lembro a primeira vez que ouvi Time do Angra, tudo na música me trazia sensações e sentimentos totalmente novos, que ainda hoje caminham comigo. Era uma descoberta, o Angra! Essa foi uma das músicas que me ajudou em diversos momentos, sendo um tipo abstrato de anestesia para me aliviar das situações que passava com a família, sendo um garoto ainda.

Time makes us heal

Time – Angra

Qual foi a surpresa ao descobrir que o Angra era uma banda brasileira? Logo conheci o disco Holy Land e pude perceber os ritmos brasileiros misturados com Heavy Metal, coisas que vieram da cabeça do André, que trazia a melodia para o peso, conseguindo uma harmonia muito boa. Tive a oportunidade de conhecer essa mescla de ritmos brasileiros e Heavy Metal com meus 14 anos, onde a cabeça era fresca e sem padrões e limites da maturidade. Algo tipo Z.I.T.O.

Angra – Z.I.T.O

A doçura dessa música e o sentimento que ela traz ia de encontro exato àquela época em que estava descobrindo o próprio Angra e os meus caminhos pela maturidade.

Like a teenager discovery, what’s more delightful than this?
Try to remember how good it was, feeling the life as it is, to believe!

Z.I.T.O – Angra

E não foi só no Angra que o André Matos influenciou a minha vida, mas foi também nas conversas e momentos com meus amigos como o Victor, Mikail, Christian e as meninas, Georgia, Paulinha, Nayara e todo o pessoal que participou dessa época de descobrimento junto.

Me lembro quando descobrimos que o André Matos tinha uma banda antes do Angra que foi o Viper, e ficavamos compartilhando e ouvindo novas músicas antes do Angra. Uma música do Viper que me marcou muito foi A Cry From the Edge:

Viper – A Cry From The Edge

Também acompanhamos a formação de outros projetos como o Virgo, que foi um trabalho totalmente novo e fora do padrão mais Heavy, trazendo para os fãs do gênero, a possibilidade de entender melhor alguns outros estilos como o Blues e até mesmo algo mais pop rock, com uma pegada inspirada no Queen, banda que o André foi totalmente influenciado. Segue abaixo o link do album completo do Virgo, um projeto do André Matos e do Sascha Paeth:

Virgo

E também teve a última banda expressiva que ele montou que foi o Shaman, cujo o primeiro álbum foi com certeza a trilha sonora dos bons anos da minha adolescência que sempre procuro revisitar, ouvido faixas como Distant Thunder:

Shaman – Distant Thunder
André Matos – Angels Cry

Que Janaína te envolva nas águas e purifique a sua alma para a próxima jornada! Obrigado!